Onde comprar: Saraiva | Amazon

SINOPSE: Como tantos casais, Michael e Jolene não resistiram às pressões do dia a dia e agora estão vendo seu relacionamento de doze anos desmoronar. Alheio à vida familiar, Michael está sempre mergulhado no trabalho, não dá atenção às duas filhas e não faz a mínima questão de apoiar a carreira militar da esposa. Então Jolene é convocada para a guerra.

Ela sabe que tem um dever a cumprir e, mesmo angustiada por se afastar de casa, deixa para o marido a missão de cuidar das meninas e segue para o Iraque. Essa experiência mudará para sempre a vida de toda a família, de uma forma que ninguém poderia prever.

No front, Jolene depara com a dura realidade e precisa, mais do que nunca, recorrer à sua força e inteligência para se tornar uma heroína em meio ao caos. Em suas mensagens para casa, ela retrata um mundo cor-de-rosa, minimizando os horrores que vivencia com o objetivo de proteger todos do sofrimento.

Mas toda guerra tem um preço, e ela acaba se vendo protagonista de uma tragédia. Agora Michael precisa encarar seus medos mais profundos e travar uma batalha em nome da família.


Já pensou chegar o dia em que você tem de abandonar sua família e ir servir o seu país numa guerra, onde muito possivelmente você entende que não sairá com vida de lá? E acredite, a guerra mata muito mais do que corpos, ela mata almas.

E é com essas considerações que eu te apresento a história de Jolene, uma corajosa mulher que leva uma vida militar e familiar conturbada e corrida, e alheio a tudo isso há Michael, um marido distante.

Jo é uma super mulher, ela é piloto, cozinheira, faxineira, mãe, psicológica, médica… Bom, ela é tudo para as duas filhas, porém, seu casamento no decorrer dos anos só vem decaindo, mas ainda assim, ela mantém-se forte e aí nós vemos uma protagonista real (“um mulherão da po**a”).

E para Jo, que vivia sem admitir que na verdade tudo estava dando errado, a vida era apenas aquilo, até que acontece o indesejável: ela é convocada para a guerra. E a última frase de seu marido era que não a amava mais.

Com o coração quebrado ela vai para o front de batalha enfrentar uma guerra. E agora um marido distante tem de aprender a cuidar das filhas e lidar com a falta, antes não percebida, da sua mulher e companheira.

Quando você voltar é uma história real e assustadoramente linda, onde você vê uma mãe que enfrenta os horrores de uma batalha, mandando cartas lindas e encorajadoras para suas filhas… E, então, você entende uma fraçãozinha do que é ser mãe. E caso, você já o seja, entende muito mais do que qualquer ser humano pode.

E não é só a Jo que enfrenta uma batalha, Michael em casa enfrenta as suas próprias tentando criar suas duas filhas, cuidar da casa e ainda trabalhar, assim, entendendo mais um pouco a mulher que antes ele criticava. E é lindo ver esse recomeço para a família.

Este livro também te ensinará que nem sempre à volta para a casa é o fim da guerra. Podemos ver de perto suas conseqüências e como uma tragédia pode marcar a vida das pessoas.

E essa é a melhor parte do livro, você aprende muito e dá muito mais valor a sua vida, acredite.

Kristin soube muito sutilmente nos apresentar a história dessa família, conseguiu passar a dor real sem criar cenas gigantescas e complicadas, guerra é guerra como for. Ela conseguiu fazer com que nós vivamos dia a dia a rotina da família e de Jo, lado a lado e mesmo assim distantes. É um livro incrível e que vale muito a pena a leitura.

Ele é dividido em duas parte “Ao longe” e “Coração de Soldado”, além disso, somos apresentados a rotina de Jolene com sua melhor amiga e piloto também, assim como para “os que ficaram em casa”.

Também há essa desconstrução ao vermos a mulher ir para a luta e o homem ficar em casa. E os personagens secundários são incríveis, principalmente a melhor amiga de Jo, Tami, e como eu amo essa mulher, ela é demais, também é piloto e vai a luta ao lado de Jo.

É uma leitura incrível, eu me emocionei muito e até hoje ainda me emociono ao lembrar. Deixo para vocês uma citação só e quero que sintam um pouquinho a vibe, depois disso vão querer ler, com certeza.

Encare a corda bamba sem rede, piloto. Porque, mesmo daqui de longe, eu estou na cobertura. Sempre. Eu te amo.” Página 338.

Sério, gente, na boinha mesmo, leiam esse livro. E chorem comigo! Super beijo e até a próxima.

 

Author

Menina do interior, 21 anos, apaixonada por sonhos realizados, histórias, batata frita e mar. Leitora assídua, moradora do universo geek e escreve por necessidade. Você é o que escolhe ser. E caso você escolha ser, quem sabe, uma pedra, então seja a pedra mais feliz do mundo!

Write A Comment