Oioi, galera! Tudo joia com vocês? Por aqui tudo ótimo!

[Postagem especial para minha sogra, que ama esse gênero de livros!]

Bem, nesse domingo a resenha é de um livro que li já há algum tempinho. Já aviso que é um livro hot, viu? Então estejam preparados. O nome do livro é a Proposta de Katie Ashley, publicado pela editora Pandorga. Na imagem abaixo você pode ler as informações e sinopse (para os que não conseguem ler vou deixar escrito também, ok?

Compre: Amazon  |  Saraiva

Sinopse: Com a chegada dos trinta anos, Emma Harrison está com seu relógio biológico tinindo e ainda aguarda o seu príncipe encantado aparecer. Ela está ficando sem opções, principalmente depois queseu melhor amigo gay desistiu de ser seu doador de esperma. Claro, sempre há um banco de esperma, mas Emma tem medo de que haja alguma confusão com a doação e ela possa receber a semente de um monstro assassino ou algo do tipo.
O maior mulherengo da empresa, Aidan Fitzgerald, está acostumado a sempre conseguir o que quer, principalmente no quarto. Quando Emma rejeita suas investidas na festa de Natal da empresa, ele fica determinado a conquistá-la a qualquer custo. Ao saber sobre a difícil situação de Emma, ele rapidamente faz uma proposta que beneficiará a ambos. Ele será o pai do filho da Emma, mas ela precisará concebê-lo naturalmente, com ele. Sem ninguém com quem namorar ou simplesmente fazer sexo casual, Emma reluta em aceitar a oferta, mas o charme dele e o intenso desejo dela pela maternidade vencem a questão.
Logo as seções para a concepção do bebê se tornam mais do que físicas. Aidan não parece se afastar dela, enquanto Emma começa a pensar que ele pode ser o homem certo.


A história, como bem disse a sinopse, conta a história de Emma, uma personagem carismática que, mesmo muito independente e forte, ainda tem sua fragilidade muito bem colocada no livro. Ela é daquelas personagens que geram identificação espontânea com as mulheres leitoras, sabe? Bem, a trama gira em torno da tentativa de Emma, que já tem 30 anos, de engravidar, com o intuito de superar a morte da mãe e a solidão causada por ela. Como ela não está envolvida em nenhum relacionamento há algum tempo e não tem nenhum previsão de que irá se envolver, ela resolver pedir a seu melhor amigo Casey, que é gay, para ser seu doador de esperma.

Tudo está quase resolvido, se não  houvesse um problema. O parceiro de Casey não quer de jeito nenhum que ele seja doador. Toda a situação vai por água abaixo. E é durante uma discussão entre Casey e Emma, na empresa onde ela trabalha que ela reencontra Aidan. Aidan, o cara que deu em cima dela descaradamente na festa de final de ano da empresa. O cara que ela dispensou sem pensar duas vezes (mesmo sendo o homem dos sonhos de qualquer mulher).

Após a briga entre Casey e Emma, ela vai para o banheiro em prantos, deixando Aidan e Casey sozinhos perto do elevador. Naquele momento Casey acaba contando todos os planos de Emma para Aidan. Aidan, então, tem uma ideia incrível. Ele convida Emma para um café e faz uma proposta irrecusável: ele seria o pai de seu filho, se o método de concepção da criança fosse natural. E é aí que toda a história começa.

Aidan tem aquela personalidade dupla, uma hora é o homem frágil e cheio de história, outra hora é aquele cara tipicamente superficial com um toque hot. Tanto Aidan, como Emma, tem um história muito intensa que é trabalhada durante esse primeiro livro, mas acredito que se desenvolverá mais no segundo.

Até onde Aidan e Emma conseguirão manter o lance da gravidez estritamente como um contrato de negócios? O que acontecerá se eles se envolverem? Aidan conseguirá manter a distância depois de Emma engravidar? Duas pessoas aparentemente de diferentes mundos e com ideais diferentes, irão provar que o amor pode acontecer para qualquer um, nas situações mais inusitadas.


A autora tem uma escrita fluída e gostosa de se ler. O diferencial do livro é que há muitas passagens engraçadas que deixam o aspecto hot muito mais leve de se ler. Isso pra mim é super importante, porque sou super tímida pra ler esse tipo de conteúdo. Sim, tem como ser tímida pra ler, acreditem, haha. Com diagramação bacana e simples, letra grande (adooooro), agradou.

Gostei do livro, mas foi um clichê que não foi daqueles de brilhar os olhos. Não vi muitos diferenciais na escrita, nem na trama. Mas no geral, foi uma leitura leve e gostosa.

 

 

 

Author

Write A Comment