Author

Júlia Coelho

Browsing

Dicionário Literário: 40 termos que todo leitor deve saber

Quem entra no mundo literário geralmente tem algumas dificuldades com as gírias, por isso trouxe para você leitor um Dicionário Literário. Nele você poderá consultar os principais termos usados por leitores e bookstragrams e acabar de vez com as suas dúvidas. Preparado?

  1. Alta literatura: literatura considerada melhor que as outras, segundo críticos literários.
  2. Autoficção: literatura cujo conteúdo é a junção de autobiografia e ficção. Ou seja, o autor mistura sua própria história com situações fictícias.
  3. Bookaholic: pessoa viciada em livros.
  4. Book Birthday: data de lançamento de um livro.
  5. Bookban: quando um leitor se proíbe de comprar livros novos.
  6. Booktour: funciona como um rodízio de livros. Utilizados por muitos blogs, o esquema é o seguinte: uma pessoa lê o livro, faz a resenha em seu blog e passa para outra pessoa ler e fazer o mesmo procedimento.
  7. Booktrailer: trailer criado para livro.
  8. Bookquiz: são jogos e questionários que buscam aprofundar o conhecimento acerca de certas obras literárias.
  9. Bookstragram: Instagram criado para compartilhar leituras e dicas literárias.
  10. Calhamaço: livro grande, com alto volume de páginas.
  11. Chick-lit: romances leves, que tratam de questões femininas. Geralmente tem como protagonistas mulheres modernas, cultas e independentes.
  12. Cliffhanger: recurso utilizado no final dos capítulos para instigar o leitor a ler o próximo.
  13. Crush literário: paixonite por um personagem.
  14. Currently Reading (CR): termo em inglês que significa “lendo atualmente”.
  15. Distopias: ficção que tem como pano de fundo um mundo imaginário, desigual e com sistema político injusto.
  16. E-book: livros digitais, que podem ser lidos em dispositivos móveis. Geralmente são mais baratos que os físicos.
  17. Estória: trata de fatos não reais, ficção, contos, fábulas.
  18. Fandom: grupo de pessoas reunidas, fãs de um livro, saga ou personagem.
  19. Fanfics: ficção escrita por fãs. Ou seja fãs escrevem estórias como: continuações de seus livros; utilizando elementos/personagens dos livros preferidos e fazendo uma nova estória etc. Já escrevi muito! Hehe
  20. Hardcover: versão do livro em capa dura, geralmente revestido por um sobrecapa de papel, couro ou tecido.
  21. Hots: romances de cunho sexual.
  22. Literatura suja: livro menosprezado pelos críticos literários.
  23. Long Sellers: Best-Sellers que continuam no topo das vendas por longos períodos de tempo. Exemplo disso são clássicos.
  24. One-shot: livro único, sem continuação.
  25. Paperback: livro comum, sem orelha.
  26. Plot: é a história/estória em si e todos os eventos dela.
  27. Plot twist: é a reviravolta da história/estória, considerado um dos ápices dela.
  28. Pocket: edição de bolso do livro.
  29. Poser: pessoa que se diz fã de um determinado livro só porque está na moda.
  30. Quotes: são citações do livro.
  31. Resenha: resumo descritivo e crítico de determinada obra. Para saber como se faz uma boa resenha, clique aqui.
  32. Ressaca literária: existem dois tipos de ressaca. Uma quando o último livro lido foi tão bom que você não consegue começar uma nova história e outra quando você simplesmente empaca e não consegue ler.
  33. Sentada: ato de sentar para ler. Pode durar uma hora ou várias, dependendo de como a leitura flui.
  34. Shippar: torcer por um casal.
  35. Sick-lit: literatura que trata de temas os quais o personagem de alguma doença.
  36. Skoob: plataforma social dedicada a leitores. Nela você pode organizar seus livros e categorizá-los de diversas formas, além de interagir com outros leitores e autores. O meu inclusive é este aqui
  37. Spin Off: ficção criada com personagens já conhecidos de outra estória.
  38. Spoiler: informações que revelam pontos extremamente importantes de um enredo e acabam com a surpresa.
  39. Tag literária (booktag): uma série de perguntas que são respondidas por blogueiros sobre determinado tema literário.
  40. Unboxing: abrir/desempacotar presentes, cartas ou livros que chegaram pelo correio ou a pessoa comprou.

Bom, acredito que seja isso, pessoal! Qual outra gíria você sabe que poderia acrescentar a este post? Ficou com alguma dúvida? Chama aê!

Como fazer uma ótima resenha literária

Antes de tudo você precisa saber que para fazer uma ótima resenha literária é necessário que não apenas apresente ao seu leitor um resumo do livro, mas proponha uma discussão aprofundada sobre ele. Portanto, neste artigo irei dar dicas de como fazer uma resenha literária de arrasar! Quer saber mais? Vem comigo!

  1. Faça anotações do livro: enquanto estiver lendo o livro é fundamental que se faça anotações, um fichamento é sempre muito bem-vindo. Para ver como fazer um fichamento bacana tem esse vídeo aqui no youtube. Há claro outras formas de documentar a obra, pode ser através de post-its, gravações de voz etc. Encontre o que funciona melhor para você. Reler o livro também é uma ótima ideia, isso porque a cada vez que você ler o livro novamente poderá ter a oportunidade de revisitar ambientes, elementos e personagens de uma forma singular. Logo, isso aguçará a sua percepção sobre aquela obra.
  2. Leve em consideração o gênero do livro: ou seja, no momento de fazer a resenha literária é importante que se analise outras obras da área. Por exemplo, se você está lendo uma fantasia, pense em aspectos comuns a todas as fantasias, e compare-a a outros livros do gênero. Isso ajudará a fazer uma resenha mais completa e embasada.
  3. Identifique os aprendizados trazidos pelo livro: é importante que durante a leitura você documente o que está aprendendo com a mesma. Ou seja, qual mensagem ou mensagens ela passa para o leitor. Isso é fundamental para saber do que se trata o livro em sua essência. Uma dica bacana é tentar resumir o livro em uma só palavra. Ex.:  felicidade, força, autoestima, bullying etc. Outra dica, é sempre estar atento ao prefácio e citações, eles sempre ajudam a definir a palavra do livro.
  4. Se atente ao estilo do autor: lembrando sempre que gênero e estilo são coisas diferentes. Gênero literário é como a obra é classificada e estilo é a forma com que o autor aborda determinada temática. Portanto, quando for escrever uma resenha literária tente levar em consideração o estilo do autor, seu ponto de vista sobre o objeto, se ele inova em algum aspecto e se essa inovação é bem sucedida. Isso ajudará a criticar melhor a obra.
  5. Reflita sobre a forma do autor se expressar sobre determinados aspectos do livro: isso não só ajuda a embasar melhor sua resenha, como aumenta sua percepção sobre os aprendizados do livro. Tenha sempre em mente uma pergunta “por que?”. Por que o autor resolveu elaborar mais esse aspecto do livro? Por que ele deixou este outro de lado? Essa decisão foi bem escolhida?
  6. Avalie em alguma escala o livro: nessa avaliação é bacana colocar se o desfecho foi satisfatório, se conseguiu passar a mensagem a que se propôs e se o recomendaria a outras pessoas. Muitos bookstagrams utilizam a escala de estrelas. Sendo 1 o mínimo e 5 o máximo – se acrescentar um coração ao 5 significa que favoritou.

 

Passo a passo para construir sua resenha literária

 

  1. Organize um cabeçalho: isso vale tanto para blogs como Instagrams. Nele é necessário que se coloque: autor, título, edição, local de publicação, editora, data de publicação, número de páginas e claro, a sinopse.
  2. Faça uma boa introdução: uma introdução de sucesso deve passar as informações gerais do livro, ser clara e cativar o leitor. Fale sobre o autor e suas obras anteriores do mesmo gênero literário e a seguir disserte vagamente sobre sua opinião geral sobre o livro e o que vai abordar na resenha. Lembre-se, a abertura da sua crítica é o que vai prender ou não o leitor, portanto, faça uso de diversos recursos de acordo com seu estilo de escrita. Você pode introduzir com uma frase do livro, o contexto, ou simplesmente como uma conversa com uma amiga, como se estivesse contando uma história a alguém.
  3. Resuma a obra: hora de falar sobre a história, do que ela se trata e qual seu enredo. Mas lembre-se, nada de dar spoiler, viu? É bacana que se embase esse resumo com citações da obra. Mas não se estenda muito, seja conciso e informativo.
  4. Critique e avalie o livro: bem, feita a preparação anterior da resenha. Utilize as informações colhidas e escreva sobre o que achou da obra, se ela cumpriu seu propósito, disserte sobre o estilo do autor e suas inovações. Fale também sobre sua experiência pessoal, como aquela obra te tocou, isso dá a resenha um toque “humano”. De novo, você pode usar citações, sempre identificadas. Uma dica bacana é utilizar a regra 2:1. 2 partes da resenha devem conter as ideias centrais do autor e 1 parte destina-se a avaliar o livro.
  5. Faça uma conclusão de arrasar: faça um desfecho de 1 a 3 parágrafos que resuma suas ideias sobre o livro. Fale de forma concisa sobre os prós e contras e se você recomendaria ele para alguém.
  6. Revise sua escrita: procure por erros ortográficos e por partes que poderiam gerar confusão ao leitor.
  7. Peça feedback de alguém: se você tem um amigo próximo ou familiar que possa ler sua resenha, peça. Isso ajuda a ver pontos negativos que você sozinho não conseguiu ver.

 

Dicas adicionais

 

  • Utilize a técnica do Storytelling, ou seja, conte uma história para o seu leitor. Faça da sua resenha literária uma história em si. Isso ajuda na hora de ler e cativa ainda mais quem te acompanha.
  • No Instagram, lembre-se de fazer parágrafos espaçados e resumir ao máximo sua resenha, até porque não cabe muita coisa, né?
  • Faça fotos cativantes. A primeira impressão é a que conta, pesquise referências e defina seu próprio estilo de fotografia. Isso definirá seu diferencial no meio literário.

Resenha do Livro: Outros Jeitos de Usar a Boca

Outros jeitos de usar a boca é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia e que também assina as ilustrações presentes neste volume , o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.

Compre : Amazon | Saraiva 


Começar uma resenha sobre esse livro é realmente muito difícil. Falar sobre algo que você ama é muito mais difícil do que fala sobre algo que você não gosta. Mas vamos lá, desafio aceito.

Comecei a ler este livro sem muitas expectativas, isso porque não sou uma pessoa de poesias/poemas/leituras profundas. Na resenha anterior até falei um pouco da minha questão com futilidades, veja aqui. A questão é, esse livro veio no momento certo. Depois de passar por situações realmente difíceis na minha vida ele veio como um conforto, um ombro amigo que dividisse o peso de um fardo – vários fardos.

Rupi Kaur escreve sobre sobrevivência de um jeito que nunca li antes. O livro é dividido em 4 partes, cada um fala sobre um aspecto das vivências de Rupi. São elas: a dor, o amor, a ruptura e a cura. Cada qual possui poemas que tocam em temas tabus do universo feminino, desde assuntos mais pesados como abusos sexuais, até mesmo assuntos como menstruação. É fácil se identificar quando vivemos numa sociedade na qual estas temáticas ainda são motivo de preconceito.

Interessado por Rupi? Ela ficou conhecida através de seus poemas, que eram publicados inicialmente em redes sociais. Vendo que muitas pessoas se interessavam pelo seu trabalho ela decidiu publicar em 2014, de forma independente, seu primeiro livro, tema desta resenha maravilhosa. Outros Jeitos de Usar a Boca foi sucesso vendendo mais de 1 milhão de cópias e ficando no topo da lista de mais vendidos do New York Times por 40 semanas. E em fevereiro de 2017 a editora Planeta trouxe o livro para o Brasil.  

Um dos diferenciais do livro é reunir ilustrações feitas pela própria Rupi que acompanham seus poemas. Outros são mostrar a vida como ela é, feia muitas vezes, mas com toques de beleza até em suas partes mais obscuras. Isso é arte para mim, mostrar o lado ruim de uma forma bonita. Porque muitas vezes é só amassando uma flor que extraímos seu melhor odor.

Todas as 4 parte mexeram comigo, mas confesso que a primeira “tocou na ferida”. A dificuldade de relacionamento com a figura paterna sempre foi uma questão pra mim, e falar sobre isso me dói, não precisei falar abertamente com ninguém, Rupi falou comigo, e isso foi bom. Afinal, mesmo sem conhecê-la fiz uma nova amizade.

A segunda parte fala sobre amor em suas diversas formas e sentidos, ela, contudo, não se deixa ser obscena. Fala de tudo com palavras certas – se é que existem palavras certas para o amor.

A terceira me fez pensar sobre o término do meu último relacionamento, afinal, ela fala exatamente sobre isso, sobre ruptura. Mexeu comigo? Claro, mas foi necessário para enxergar alguma coisas que há muito tempo venho escondendo de mim mesma.

E por último: a cura. Algo que está em todos os pequenos/médios e grandes machucados. A cicatriz fica ali para lembrarmos do que houve e do que aprendemos, mas depois de um tempo para de doer e vida que segue.

Devorei o livro em uma sentada e cheguei a uma conclusão: tenho que relê-lo o quanto antes. Isso porque sinto que não consegui absorver toda a essência, todo o seu significado, dada sua profundidade e complexidade.

Outros Jeitos de Usar a Boca é um livro que toda mulher E homem deveriam ler. Ele, por abordar questões do universo feminino de forma a “destabulizar” as coisas – já dizia a deusa Jout Jout -, é dado como feminista. E nada mais certo. Vemos muitos livros de autoajuda dizendo como devemos ser felizes e focar nas coisas positivas. Mas as experiências negativas são as que nos dão mais sabedoria. Quer coisa melhor do que ser sábio?


Abaixo algumas citações desse livro que me conquistou. Mais que tudo, abriu meus olhos.

pai. você sempre liga sem ter nada especial a dizer. você / pergunta o que estou fazendo ou onde estou e se o silêncio / entre nós se estende por uma vida dou / um jeito de encontrar / perguntas que façam a conversa continuar. / o que eu queria / mesmo dizer é. / eu sei que o mundo te / despedaçou. foi com / tudo pra cima de vocês. não te culpo por / não saber / ser delicado comigo. às vezes fico acordada / pensando / em todos os machucado que você tem e / nunca vai / dizer. eu venho do mesmo sangue dolorido / do mesmo / osso tão sedento por atenção que desabo / em mim / mesma / eu sou sua filha. eu sei que a / conversa-fiada é o / único jeito que você conhece de dizer / que me ama. porque / é o único  jeito que eu conheço.

 

ele diz / desculpe por eu não ser uma pessoa fácil / eu olho pra ele surpresa / quem disse que eu queria fácil / gosto de difícil pra caralho

 

não quero ter você / para preencher minhas partes vazias / quero ser plena sozinha / quero ser tão completa / que poderia iluminar a cidade / e só aí / quero ter você / porque nós dois juntos / botamos fogo em tudo

 

o amor vai chegar / e quando o amor chegar / o amor vai te abraçar / o amor vai dizer o seu nome / e você vai derreter / só que às vezes / o amor vai te machucar mas / o amor nunca faz por mal / o amor não faz jogo / porque o amor sabe que a vida / já é difícil o bastante

 

eu não fui embora porque / eu deixei de te amar / eu fui embora porque quanto mais / eu ficava menos / eu me amava

 

eu sou um museu cheio de quadros / mas você estava de olhos fechados

 

você precisa começar um relacionamento / consigo mesma / antes de mais ninguém

 

a solidão é um sinal de que você está precisando desesperadamente de si mesma

 

você tem o hábito / de depender / dos outros para / compensar aquilo que / você acha que não tem / quem te fez / cair na história / de que outra pessoa / deveria te completar / se o máximo que alguém pode fazer é / complementar

 

perder você / foi o que levou / a mim mesma

 

como você ama a si mesma é / como você ensina a todo mundo a te amar

Resenha do Livro: Esposa até Segunda

Sinopse:

O segundo livro da série Noivas da Semana. Carter Billings: com seus cabelos loiros, olhos azuis e beleza hollywoodiana, ele pode ter a mulher que quiser. Mas, quando decide concorrer à vaga de governador do estado da Califórnia, Carter sabe que vai precisar abandonar a vida de solteiro e se tornar um homem de família. E para isso ele precisa de uma esposa. Entra Eliza Havens, que gerencia a agência de casamentos Alliance. Eliza Havens: ela está feliz por sua amiga Sam ter arrumado um marido rico e atraente. Só tem um detalhe que a deixa louca da vida: o melhor amigo dele, o sexy e ousado Carter Billings. Eliza nunca brigou tanto com um homem — e nunca conheceu alguém que mexesse tanto com ela. Juntar pessoas solitárias é a maneira como Eliza ganha a vida, porém um obscuro segredo do passado a faz descartar totalmente a possibilidade de se casar. Pelo menos foi assim até agora…

Link para compra: Amazon  |   Saraiva


Sabe quando a leitura se torna uma obrigação? Pois é, infelizmente foi o que houve com esse livro.

Começar a resenha assim já dá até um desânimo. O livro é ruim? De um todo não, mas também não é bom. Tem como me entender? Sei lá.

Comecei o livro empolgada, sabendo que ele talvez tivesse a pegada que eu gosto para me fazer voltar de vez para as leituras. E aí você me pergunta, qual seria a pegada, Júlia? Bem, eu brinco muito com minhas amigas e amigos que sou muito fútil, gosto de coisas bobas, entretenimento barato do tipo “de férias com o ex” e estou sempre disposta a assistir filmes e doramas clichês. Se eu me envergonho disso? Claramente não. MEU conceito de entretenimento é não pensar enquanto lê, assiste, faz algo. Gosto do entretenimento pelo entretenimento. House of Cards? Nã-não. Black Mirror? Muito menos. Vamos assistir aqui uma Barraca do Beijo três vezes na semana? Me chama que eu vou! Enfim, vamos falar do próprio livro em si, porque minha futilidade rende um outro post inteirinho.

A história tem como protagonistas Carter Billings e Eliza Havens. Carter é um ex-advogado, ex-juiz e atual concorrente a governador do Estado, já Eliza gerencia a agência de casamento Alliance. Eles se conheceram através de seus melhores amigos, Blake e Samantha, há cerca de dois anos de quando o livro é narrado. A atração foi instantânea, assim como as brigas entre eles (clichêzão que amamos).

Os encontros entre os dois se davam ocasionalmente na presença dos melhores amigos Sam e Blake, que eram casados e já tinham o pequeno Eddie. Todo ano, Sam e Blake renovavam os votos de casamento, e lá estavam Carter e Eliza como padrinhos. Este ano não fora diferente. Contudo, antes do casamento, Eliza e Gwen (irmã de Blake) resolveram dar uma saidinha e acabaram se metendo em confusão. O que fez com que Carter se metesse em uma briga e saísse nos noticiários. A eleição, que já estava difícil para ele que era um solteirão de trinta e poucos anos, se tornara impossível de ganhar. Só um casamento o salvaria. E Eliza era a esposa perfeita!

No começo da trama Eliza relutou bastante quanto a ideia de se casar com Carter, mas quando algo do passado ameaça sua segurança ela vê o casamento como a última saída. Ambos então concordam com o casamento por conveniência – mesmo com os riscos.


Crítica

Vejam bem, é apenas a opinião de uma leiga que lê livros por prazer. Mas não achei Carter aquele protagonista apaixonante, que pega a gente pelo coração e deixa um gostinho de quero mais no final do livro. Se eu descartaria um Carter que aparecesse na minha frente? Deus sabe que não. Mas talvez isso se devesse ao fato de que ele é um baita de um gato, loiro dos olhos azuis.

Já Eliza é uma personagem forte que mostra a que veio, mas ao mesmo tempo tem suas fragilidades, assim como qualquer ser humano de carne e osso, né non, minha gente? Mas mesmo ela, que é uma mulher determinada e independente, não conseguiu me capturar, me trazer para a trama.

Em momento algum os protagonistas trabalham algumas diferenças entre eles, que ao que parecia no começo, eram muitas. Isso me incomodou bastante também.

A verdade é que acho que a história foi pouco crível, com pontos muito soltos, principalmente no final do livro. À partir de seus 80% a autora parecia que queria terminar logo, ou que não tinha mais espaço para escrever. Muitas partes poderiam ter sido melhor desenvolvidas para que a leitura fosse mais fluida e os personagens encontrassem um desfecho e uma “moral da história” mais “real”.

Apesar de amar esse gênero de livro, acho que Esposa até Segunda deixou a desejar. Infelizmente, desde a construção dos personagens e das situações, até mesmo a escrita da autora não conseguiram me fisgar. Mas continua sendo uma leitura leve, rápida e romântica, viu? Não descarte ele por conta da minha opinião. Porque essa é apenas a MINHA opinião.

Grande beijo, e até a próxima!

Planner 2018

Oioi, galera! Tudo joia com vocês? Espero que sim! O post de hoje é aquele aguardado pela galera da organização: o Planner 2018. Se você é uma daquelas pessoas que ama planners e métodos de organização, então está no lugar certo.

Ju, e a lojinha do abaca?

Pois é, pessoal! Com meus 1001 empreendimentos não puder dar sequência à lojinha. Ela dependia de muita dedicação (como qualquer outra coisa) e, como não gosto de fazer nada mal feito, resolvi fechar a lojinha.

Mas tudo tem seu lado ruim e seu lado bom, né? O bom é que vou disponibilizar os materiais da lojinha DE GRAÇA. É pouco ou quer mais?

o que está incluso no planner 2018?

Bem, o Planner 2018 é bem completo. Fiz um apanhado de inspirações que via nos outros planners para que esse ficasse o mais funcional possível! O Planner 2018 contém:

  • Capa com espaço para colocar seu nome.
  • Calendário 2018.
  • Datas para lembrar.
  • Contatos emergenciais.
  • Contatos de amigos.
  • Contatos comerciais.
  • Qual a minha senha.
  • Metas 2018
  • Coisas para fazer durante o ano.
  • Wishlist.
  • Meus livros.
  • Meus seriados.
  • Meus filmes.
  • Capa de todos os meses do ano.
  • Despesas mensais.
  • Compra mensal.
  • Planejamento semanal.

Bastante coisa, né? Eu particularmente estou apaixonada!

Dicas de impressão

  • Utilize papel A5 com gramatura a partir de 90g.
  • Configure a impressora para imprimir o miolo frente e verso, menos a capa que deve ser impressa separadamente e numa gramatura acima de 200g.
  • A capa pode ser feita com plastificação ou encadernada.

baixe seu planner 2018

Para baixar o seu Planner 2018 você deve solicitá-lo através do formulário de contato abaixo:

Descasque um abacaxi por vez

Ontem dei uma lembrancinha para minha sogra e minhas cunhadas. Eram quadrinhos negros com algumas sabedorias pintadas de branco. Um achado! Em um deles – o que dei para minha sogra – estava escrito: descasque um abacaxi por vez. E foi daí que surgiu esse textinho massa da minha cachola.

Muitas vezes tentamos segurar o mundo com as nossas mãos. Fazer tudo de uma vez. E isso pode ser um problema. Os problemas e as dificuldades são inevitáveis na vida de qualquer um – até mesmo daquelas pessoas que a gente acredita que são perfeitas e não tem nem uma espinha como problema. Mas o segredo de tudo é saber lidar com elas, por isso esse post é especialmente para isso.

Todos os problemas têm solução

Muitas vezes, no meio do furacão temos a falsa ilusão de que algo é impossível de se resolver. Ah, meus amigos, a já digo de antemão que a palavra “impossível” é proibida aqui nesse espacinho de luz. Você já parou para pensar que todo e qualquer problema tem sim uma solução? Mesmo que não seja das melhores a primeira solução que aparecer na sua cabeça. Eles tem solução.

Se o problema for daqueles cascudos, que tal fazer um exercício? Chame um amigo, um parente próximo e ponham em prática uma estratégia do marketing/design/publicidade: façam um brainstorming. Isso pode ajudar a achar a melhor solução. Muitas vezes, por estarmos inseridos numa situação difícil não conseguimos ter um panorama do que está acontecendo, estamos perto demais da imagem. Mas alguém de fora pode ver o quadro inteiro e entende, muitas vezes, melhor do que a gente o que está acontecendo e como solucionar aquele pepino.

Descasque um abacaxi por ver

A dica master desse texto: descasque um abacaxi por vez. Quando fazemos muitas coisas ao mesmo tempo, geralmente nada sai muito bem feito. O mesmo acontece com os problemas, tentar solucionar todos de uma vez só vai causar mais stress e nada vai sair da maneira que você queria inicialmente.

Então, lide com um problema por vez. Lembre-se da dica que dei no primeiro tópico. Você precisa focar em uma situação difícil e fazer tudo para resolvê-la. E não faça sozinho não, para esses momentos também servem a família e os amigos. Você não precisa estar sozinho, a menos que queira.

Mar calmo nunca fez bom marinheiro

Já ouviu essa expressão? Pois é. Se você, assim como eu, já sentiu que o mundo fosse acabar diversas vezes durante sua vida, lembre-se: da última vez que você pensou isso o mundo não acabou, acabou? Relaxe, faça um exercício de respiração e traga pessoas amadas para o seu lado. Isso sempre ajuda.

Mais que tudo lembre-se que os problemas vêm para agregar conhecimento e sabedoria. Cada situação difícil te fortalece e te faz ser alguém mais preparado para os baques da vida. E durante essa trajetória, não esqueça de manter a sua essência. Isso ajudará a saber que você continua ali, independente dos percalços.


Confio em você para superar qualquer adversidade! E se você precisar de um ombro amigo ou quiser só desabafar, deixa aí nos comentários ou me chama no privado. Juntos somos mais fortes! Ah, e me conta também? Qual abacaxi que você está tendo que descascar agora? O que anda fazendo para tornar essa tarefa mais fácil? Vamos conversar e trocar experiências!

 

As melhores dicas de como aumentar seguidores no Instagram: Parte 1

Oioi galera! Tudo joia com vocês? Por aqui tudo ótimo! O post de hoje vem para trazer um conteúdo relevante para as blogueiras  de plantão: como aumentar seguidores no Instagram. A rede social que hoje conta com mais de 600 milhões de usuários e com cerca de 95 milhões de fotos postadas por dia é o meio ideal para as blogueiras.

Isso porque, está é uma das redes sociais mais “sociais” possíveis. As funcionalidades do Instagram abrem possibilidade para um grande engajamento. Seja na área de stories, ou mesmo no próprio feed. Mas, mesmo com esse potencial todo você ainda não consegue engajamento satisfatório nas suas fotos? Então vamos às dicas!

Como aumentar seguidores no Instagram

Crie uma bio interessante

Como boa profissional da comunicação, sei que a propaganda é tudo. E é a primeira impressão a que conta. Portanto, não adianta você ter um perfil lindo se sua bio não é atraente. Você já parou para pesquisar as bios dos seus concorrentes? Essa é uma boa estratégia para começar a criar um bio interessante. Pense no que você gostaria de saber se fosse seu seguidor, tudo isso cabendo em 150 caracteres. Se você tem um blog coloque o:  nome do blog, assunto, página do facebook abreviada (fb.me/blogabacaxi), quem gerencia a conta, na parte do link o link do seu blog, seu e-mail para contato na parte de e-mail e o local na área de local. Caso caibam mais informações, sinta-se livre para criar. E lembre-se colocar emojis na bio é sempre um plus! 

Conecte seu instagram a outras redes sociais

Principalmente se você tem Facebook, é de extrema importância que crie uma página para o seu blog, se já não a tem, e conecte com seu Instagram. Isso fará com que sua conta do Instagram seja identificada como perfil comercial. Isso ajuda, e muito, na hora de mensurar resultados de suas publicações, uma vez que uma funcionalidade do perfil comercial são as estatísticas disponibilizadas para acesso do dono da conta.

Além disso, você pode compartilhar seus posts diretamente do Instagram para o Facebook. Isso é possibilitado também para as redes sociais Twitter e Tumblr, tudo de maneira fácil. Uma vez que usuário vê a publicação do Instagram replicada, ele pode te achar e seguir no Instagram através dessas outras redes. Esta é uma ótima estratégia para chamar seguidores de outras redes!

use hashtags e as monitore

Muitas blogueiras já usam hashtags no Instagram, mas existe toda uma estratégia por trás delas. Primeiro você tem que saber as hashtags mais relevantes para o seu nicho. Isso você pode fazer através no app Leetags, ele te dá as hashtags mais relevantes de acordo com a hashtag que você digita, inclusive apontando a porcentagem de relevância delas.

Agora que você já sabe quais hashtags usar é preciso saber também como usá-las. Dá uma olhada nessas dicas e fique por dentro de como usar as hashtags ao seu favor:

Quais hashtags colocar?

Existem 4 passos para você definir as suas hashtags principais, com o auxílio do Leetags. Vamos a eles:

  1. Defina as hashtags pelo nicho. Ex.: #nutrição #alimentação #saúde
  2. Confira quais hashtags são relevantes para o seu assunto. É aí que entra muita pesquisa, feeling e o Leetags. Ex.: semglúten
  3. Use hashtags próprias da marca/blog. Ex.: #clinicadajulia #clinicadajuliaindica
  4. Use hashtags que indiquem o local que você mora e que quer atingir. Ex.: #cidade #bairro #estado.
sE ATENTE AS HASHTAGS DA CONCORRência

Tem um blog no qual você se inspira? Aquele que tem vários seguidores? Pois bem, se atente as hashtags dele. Tente usar algumas e vá fazendo o teste das que mais funcionam. Isso ajuda a saber não só onde a concorrência aparece, mas como você também pode interagir e receber interação através dessas mesmas hashtags.

Mas lembre-se, usar hashtags genéricas e de alta repercussão como muitas blogueiras usam pode até garantir bastante curtidas, mas não gera grande engajamento ou seguidores fiéis. Então tente usar as hashtags mais específicas!

Interaja através das hashtags

A maior dica que vou dar nesse post: interaja! As hashtags são feitas para agregarem fotos de um mesmo conteúdo num só lugar. Então se você comenta e interage nas fotos dos coleguinhas, você será visto. E é muito provável que essa pessoa que recebeu seu comentário interaja de volta com você e acabe te seguindo, se seu conteúdo for bacana.


Bom, pessoal, por hoje é só! O post de continuação vem na semana que vem para ajudar na empreitada de como aumentar seguidores no Instagram. Gostou do conteúdo? Quer ver a continuação? Comente aí embaixo para dar aquela incentivada!

 

Resenha: A Proposta

Oioi, galera! Tudo joia com vocês? Por aqui tudo ótimo!

[Postagem especial para minha sogra, que ama esse gênero de livros!]

Bem, nesse domingo a resenha é de um livro que li já há algum tempinho. Já aviso que é um livro hot, viu? Então estejam preparados. O nome do livro é a Proposta de Katie Ashley, publicado pela editora Pandorga. Na imagem abaixo você pode ler as informações e sinopse (para os que não conseguem ler vou deixar escrito também, ok?

Compre: Amazon  |  Saraiva

Sinopse: Com a chegada dos trinta anos, Emma Harrison está com seu relógio biológico tinindo e ainda aguarda o seu príncipe encantado aparecer. Ela está ficando sem opções, principalmente depois queseu melhor amigo gay desistiu de ser seu doador de esperma. Claro, sempre há um banco de esperma, mas Emma tem medo de que haja alguma confusão com a doação e ela possa receber a semente de um monstro assassino ou algo do tipo.
O maior mulherengo da empresa, Aidan Fitzgerald, está acostumado a sempre conseguir o que quer, principalmente no quarto. Quando Emma rejeita suas investidas na festa de Natal da empresa, ele fica determinado a conquistá-la a qualquer custo. Ao saber sobre a difícil situação de Emma, ele rapidamente faz uma proposta que beneficiará a ambos. Ele será o pai do filho da Emma, mas ela precisará concebê-lo naturalmente, com ele. Sem ninguém com quem namorar ou simplesmente fazer sexo casual, Emma reluta em aceitar a oferta, mas o charme dele e o intenso desejo dela pela maternidade vencem a questão.
Logo as seções para a concepção do bebê se tornam mais do que físicas. Aidan não parece se afastar dela, enquanto Emma começa a pensar que ele pode ser o homem certo.


A história, como bem disse a sinopse, conta a história de Emma, uma personagem carismática que, mesmo muito independente e forte, ainda tem sua fragilidade muito bem colocada no livro. Ela é daquelas personagens que geram identificação espontânea com as mulheres leitoras, sabe? Bem, a trama gira em torno da tentativa de Emma, que já tem 30 anos, de engravidar, com o intuito de superar a morte da mãe e a solidão causada por ela. Como ela não está envolvida em nenhum relacionamento há algum tempo e não tem nenhum previsão de que irá se envolver, ela resolver pedir a seu melhor amigo Casey, que é gay, para ser seu doador de esperma.

Tudo está quase resolvido, se não  houvesse um problema. O parceiro de Casey não quer de jeito nenhum que ele seja doador. Toda a situação vai por água abaixo. E é durante uma discussão entre Casey e Emma, na empresa onde ela trabalha que ela reencontra Aidan. Aidan, o cara que deu em cima dela descaradamente na festa de final de ano da empresa. O cara que ela dispensou sem pensar duas vezes (mesmo sendo o homem dos sonhos de qualquer mulher).

Após a briga entre Casey e Emma, ela vai para o banheiro em prantos, deixando Aidan e Casey sozinhos perto do elevador. Naquele momento Casey acaba contando todos os planos de Emma para Aidan. Aidan, então, tem uma ideia incrível. Ele convida Emma para um café e faz uma proposta irrecusável: ele seria o pai de seu filho, se o método de concepção da criança fosse natural. E é aí que toda a história começa.

Aidan tem aquela personalidade dupla, uma hora é o homem frágil e cheio de história, outra hora é aquele cara tipicamente superficial com um toque hot. Tanto Aidan, como Emma, tem um história muito intensa que é trabalhada durante esse primeiro livro, mas acredito que se desenvolverá mais no segundo.

Até onde Aidan e Emma conseguirão manter o lance da gravidez estritamente como um contrato de negócios? O que acontecerá se eles se envolverem? Aidan conseguirá manter a distância depois de Emma engravidar? Duas pessoas aparentemente de diferentes mundos e com ideais diferentes, irão provar que o amor pode acontecer para qualquer um, nas situações mais inusitadas.


A autora tem uma escrita fluída e gostosa de se ler. O diferencial do livro é que há muitas passagens engraçadas que deixam o aspecto hot muito mais leve de se ler. Isso pra mim é super importante, porque sou super tímida pra ler esse tipo de conteúdo. Sim, tem como ser tímida pra ler, acreditem, haha. Com diagramação bacana e simples, letra grande (adooooro), agradou.

Gostei do livro, mas foi um clichê que não foi daqueles de brilhar os olhos. Não vi muitos diferenciais na escrita, nem na trama. Mas no geral, foi uma leitura leve e gostosa.

 

 

 

Resenha: Para Todos os Garotos que já Amei

Oioi, galera! Tudo joia com vocês? Por aqui tá tudo na boa. A resenha desse domingo é de um livro que eu gostei bastante, mas ainda sim tenho algumas críticas. O livro é “Para todos os garotos que já amei”. Vamos começar?

Compre: Amazon | Saraiva

Bem, a história começa contando a rotina das irmãs Song e seu pai. Sua mãe falecera quando Lara Jean, a protagonista da história, ainda era pequena. Margot tem 18 anos e é dois anos mais velha que Lara Jean, ela é quem comanda a casa e assumiu, depois da morte da mãe, o papel de matriarca da família. Ela é quem cuida das tarefas da casa, bem como de cuidar dos corações  e mentes da casa. Com seu jeito peculiar, meio nerd, voluntária de vários projetos e dedicada ao extremo, ela é quem está no comando. Pelo menos até ir estudar numa faculdade há milhares de quilômetros na Escócia. A irmã Song mais nova, Kitty (ou Katherine, como prefira chamar)  tem 11 anos e é de uma inteligência que só vendo, com sagacidade e respostas na ponta da língua ela traz a maioria das passagens de humor do livro. Agora, a menina cuja história é contada no livro. Lara Jean. A irmã do meio, cujo coração se apaixona com facilidade, tímida, com um estilo mais puxado para o nerd, tem 16 anos e 5 cartas de amor, ou melhor, cartas apaixonadas, porém sinceras (até demais).

Após um breve momento do livro em que a família Song é apresentada, bem como Chris, a melhor amiga de Lara Jean, cujos gostos envolvem sair com muitos garotos e fazer coisas arriscadas, vamos para o que realmente interessa. Em algum momento, as cartas que Lara Jean escrevera durante todos os anos para suas paixões – ao total 5 cartas -, e que foram secretamente guardadas em uma caixa que sua mãe lhe dera – e onde deveriam ter ficado para sempre -, são enviadas aos destinatários. Quem recebe primeiro a carta e de imediato vai conversar com Lara é Peter Kavinsky, garoto mais popular e integrante do time de lacrosse da escola. Sempre muito debochado, presunçoso e com certo tom arrogante, ele é o dono do primeiro beijo de Lara Jean e portanto o primeiro amor dela. É claro que ele debocha bastante de toda a situação.

O segundo a receber a carta é ninguém mais, ninguém menos que Josh, namorado de Margot. Josh, que também é paixão de Kitty. Josh, o mais amado de sua família. Lara Jean, desesperada, inventa que está namorando com Peter, para fugir das perguntas e observações de Josh. Peter compra a história a fim de causar ciúmes em sua ex-namorada. E é aí que toda trama se desenrola, um namoro falso, corações divididos e a vontade de que tudo volte a ser como era. Lara Jean vai se aventurar com Peter Kavinsky e Josh Sanderson e descobrirá o que seu coração realmente quer. Será Josh ou Peter?  Como não sou uma garota de Spoilers, deixarei você, querido leitor, descobrir o que vem a seguir.


Gostei bastante da forma como os personagens foram desenvolvidos. A autora explorou cada característica da personalidade de cada um. A que eu mais gostei foi Margot, por parecer com minha mãe, toda realista, além de ter o mesmo nome da minha mãe, haha. Essa atenção especial a personalidade dos personagens criou uma intimidade maior de leitor-personagem.

Quando olhamos para Lara Jean vemos uma pessoa aparentemente ordinária. Mas eu consegui enxergar uma protagonista forte, a sua maneira. Peter, que aparentemente é forte e super descontraído, tem sensibilidade e carinho em seu coração. E Josh, apesar de parecer perfeito, parece esconder uma personalidade difícil. Clichê, mas muito bom!

Bem, quanto as críticas que citei no início do post. Eu não gostei muito da diagramação e do fato da autora contar a história de forma tão “picada”. O meu pensamento sempre era cortado de uma história pra outra e ficava meio desconexo em algumas partes. A leitura não foi tão fluida como poderia ter sido. Mas em compensação a história e sua trama cheia de intrigas e romance me prendeu do início ao fim, sempre deixando um gostinho de quero mais. Não vejo a hora de conseguir o segundo livro!

Enfim, é isso, meus caros! Espero que tenham gostado da resenha. Me digam aí nos comentários o que acharam do livro e suas impressões. Vamos conversar!

Saiba Tudo: Gêneros Literários

Oioi, galera! Tudo joia com vocês? Por aqui tá tudo bem. Hoje tem post especial em plena segunda com umas informações super importantes para você entender sobre tudo que estamos falando por aqui. Pois bem, você conhece todos os gêneros literários? Não? Então se liga nesse post!

Os gêneros literários a que nos referimos dizem respeito ao tipo de conteúdo que vai estar no livro, ou seja, da trama, narrativa, etc. Eles se dividem em não-ficção e ficção. E dentro dessa divisão existem outras tantas subdivisões. Vamos a elas!

Não-ficção

É uma narrativa que se baseia em fatos reais. Portanto, utiliza-se de informações verídicas, contando-as das mais variadas maneiras.

Biografia

Nesse gênero o autor escreve sobre a vida de uma pessoa ou de várias pessoas. Dentro dele também existe a autobiografia, na qual o autor conta sobre sua própria vida.

Ensaio

Gênero no qual o autor fala sobre determinado assunto específico de forma sucinta. Geralmente é em prosa e num tom especulativo, analítico ou interpretativo.

Memórias

Nesse gênero o autor conta sobre fatos que ocorreram na sua vida. Ele é diferente da biografia, uma vez que não se limita a contar a vida de alguém em particular, mas sim narrar suas memórias.

Ficção

São obras literárias baseadas em conteúdos trabalhados pela imaginação. Nela, algo é fingido, inventado ou imaginado.

Aventura

Nesse caso o protagonista vive em situações de perigo. Há a presença de várias viradas e de um herói ou anti-herói.

Chick-lit

Refere-se a “um gênero de ficção dentro da ficção feminina, que aborda as questões das mulheres modernas. Chick-Lits são romances leves, divertidos e charmosos, que são o retrato da mulher moderna, independente, culta e audaciosa”. Comumente são associados ao Romance ou ao Young Adult.

Clássicos

Livros aclamados pela crítica. Podem se referir a antiguidade clássica ou não.

Clássicos contemporâneos

Livros escritos a partir do século XX e que são aclamados pela crítica.

Comédia

Gênero conhecido por provocar extremo humor pessoal. Nele, o ser humano é retratado de maneira comum, e detalhes simples do cotidiano, porém extremamente engraçados quando paramos para pensar, preenchem esse tipo de narrativa.

Contos de fada

Ou contos de maravilha, assemelham-se a contos ou fábulas. Geralmente possuem seres mágicos e são destinados (hoje não mais) para crianças.

Drama

Obra literária, caracterizada por possuir, seja na história do protagonista ou dos personagens secundários, sofrimentos e/ou tragédias. Os finais podem ser tanto tristes, como felizes.

Graphic Novel

Livro que conta uma história longa com o auxílio de ilustrações e quadrinhos.

História em Quadrinhos (HQ)

Obra literária onde ilustração acompanha texto pequeno de forma ordenada. Podem vir em formato de revistas, livros ou em partes de jornais e revistas. Ela pode ter continuação ou não (geralmente tem).

Lad-Lit

Alguns autores consideram esse gênero como subgênero dos chick-lits. O protagonista da trama é homem, e o livro pode ser escrito por um homem ou uma mulher.

Literatura fantástica

Gênero que aborda temas irreais e fantásticos como tema central da trama. O gênero possui diversos subgêneros.

 

  • Distopia

“Distopia ou antiutopia é o pensamento, a filosofia ou o processo discursivo baseado numa ficção cujo valor representa a antítese da utopia ou promove a vivência em uma ‘utopia negativa’. As distopias são geralmente caracterizadas pelo totalitarismo, autoritarismo, por opressivo controle da sociedade. Nelas, ‘caem as cortinas’, e a sociedade mostra-se corruptível; as normas criadas para o bem comum mostram-se flexíveis. A tecnologia é usada como ferramenta de controle, seja do Estado, seja de instituições ou mesmo de corporações.” 

  • Fantasia

“Gênero da ficção em que se usa geralmente fenômenos sobrenaturais, mágicos e outros como um elemento primário do enredo, tema ou configuração. Muitas obras dentro do gênero ocorrem em mundos imaginários onde há criaturas mágicas e itens mágicos”.

  • Ficção científica

“É um gênero da ficção especulativa, que normalmente lida com conceitos ficcionais e imaginativos, relacionados ao futuro, ciência e tecnologia, e seus impactos e/ou consequências em uma determinada sociedade ou em seus indivíduos, desenvolvido no século XIX. Conhecida também como a “literatura das ideias”, evita utilizar-se do sobrenatural, tema mais recorrente na Fantasia, baseando-se em fatos científicos e reais para compor enredos ficcionais”.

  • Sobrenatural

Inicialmente pensado para causa medo. Esse gênero, hoje, conta com a presença de seres sobrenaturais como vampiros, lobisomens, fantasmas, zumbis, etc, contudo não tem a presença do medo necessariamente.

 

 

New Adult

Gênero que conta a história de jovens que tem entre 18 e 25 anos. Algumas características sobre o conteúdo desses livros é: “histórias de vidas trágicas, descrição de cenas de tortura e abuso sexual, busca pelo autoconhecimento, libertação ou recomeço, personagens com problemas psicológicos em decorrência de traumas do passado, algum tipo de dependência (seja psicológica, seja química), personalidade mais agressiva ou antissocial, ambiente universitário, sublimação do amor, erotismo.

 

Realismo Mágico 

“Nesta vertente, o universo fantástico funde-se com a realidade. Elementos irreais ou bizarros são apresentados como corriqueiros e habituais. Ao contrário da fantasia, em que o fantástico busca uma explicação, o Realismo Mágico insere elementos inexistentes sem a menor explicação e de forma intuitiva”.

 

Romance 

Refere-se a uma história que contém conteúdo amoroso, seja entre o protagonista ou os personagens secundários. Dentro dele há uma série de subdivisões.

 

  • Romance Adulto

Trama que possui, em sua maioria, conteúdo erótico.

  • Romance Contemporâneo

Subgênero que conta uma história de amor que se passa atualmente.

  • Romance Cristão

História de amor que contém conteúdo religioso.

  • Romance Epistolar

Narrativa  em que o desenvolvimento da trama se dá por meio da troca de cartas, bilhetes, diários, emails, etc. O nome “epistolar” vem do latim epistoláris “relativo a carta, epístola”.

  • Romance de Época

História com conteúdo amoroso com ambientação histórica. Geralmente se passam em momentos históricos importantes, como guerras. Tende a ser muito descritivo, contando tudo sobre os costumes, construções e situações em geral.

  • Romance Policial

Subgênero que se caracteriza por possuir crime, investigação e revelação do malfeitor. Nele o foco é desvendar o mistério. Pode ou não ter romance (a maioria tem).

 

Sick-Lit

Contam histórias com bastante drama. Geralmente associados ao Young Adult e ao Drama, esse subgênero possui em seu conteúdo: doenças graves, depressão, angústia e suicídio.

 

Terror

Gênero cujo principal objetivo é causar medo, terror.

 

Thriller

“É um gênero da literatura, filmes, jogos eletrônicos e televisão que usa o suspense, tensão e excitação como principais elementos do gênero”.

 

  • Thriller Erótico

Há uma mistura de suspensa e erotismo.

  • Thriller Criminal

“O thriller criminal é uma mistura de filmes sobre crimes e o thriller, que mostra uma sequência de crimes bem-sucedidos e falhos, em que o protagonista trata de investigar os crimes, fazer sua detecção e descobrir quem são os criminosos e os seus motivos. Nesse gênero, geralmente se foca no criminoso e não no investigador/policial. Geralmente, se enfatiza a ação sobre os aspectos psicológicos dos personagens. Os temas mais comuns são serial killers, assassinatos, assaltos, perseguições e tiroteios”.

  • Thriller de Mistério

“No thriller de conspiração, os protagonistas costumam ser jornalistas ou investigadores amadores que, geralmente sem saber, “puxam um fio” e acabam por descobrir uma grande conspiração e a investigam até descobrir todos os segredos por trás dela, se tornando, assim, uma ameaça e alvo para os conspiradores. A complexidade de fatos históricos são muito utilizadas nesse gênero, onde se faz um jogo de moralidade, o vilão faz coisas ruins e os mocinhos tem que derrotá-lo. Algumas características desse gênero são pessoas com a vida colocada em risco pela conspiração  e as narrações feitas, como em suspenses policiais. Um fato comum nas mídias desse gênero é a frustração do personagem por não conseguir provas sobre a conspiração, já que os vilões sempre encobrem todos os fatos com rumores e mentiras”.

  • Thriller de Época

Dos mais variados conteúdos, esse thriller tem a característica de se passar num tempo antigo.

  • Thriller de Jurídico

Caracteriza-se por se passar no ambiente jurídico, dentro de um tribunal ou similar. Mostra os casos judiciais, seus conflitos e seus desfechos.

  • Thriller Médico

Nesse tipo de narrativa há dois tipos de situações. Uma quando a vida do médico corre risco. A outra é quando uma doença de “laboratório” se alastra pela população, contaminando uma grande quantidade de pessoas. Se tornando portanto, um problema de saúde pública.

  • Thriller Político

“O thriller político é um gênero que mostra os bastidores de uma disputa de poder política. Eles podem envolver cenários políticos nacionais ou internacionais. A corrupção política, o terrorismo e a guerra são temas comuns. Thrillers políticos podem ser baseados em fatos reais, como o assassinato de John F. Kennedy ou o escândalo de Watergate. De modo que há uma forte sobreposição com o thriller de conspiração”.

  • Thriller Psicológico

No thriller psicológico, os personagens não são dependentes da força física para superar seus inimigos (que é frequentemente o caso típico de thrillers de ação), mas dependem de suas capacidades mentais, seja pela inteligência lutando com um oponente formidável, ou por tentar se manter em perfeito estado psicológico.

Uma das características nesse gênero é que o escritor/roteirista busca descrever os eventos do ponto de vista do personagem, sendo assim, na maioria das vezes, narrados em primeira pessoa, ou seja, o próprio personagem é quem conta a história. Esse recurso é muito usado pois faz o leitor ficar mais envolvido com o personagem e ser capaz de entender como funciona sua mente. Outra característica desse tipo de thriller é que a narração volta muitas vezes no tempo, em que o personagem conta algo que aconteceu em seu passado, mais especificamente para justificar suas atuais motivações, ou mostrar como algo mudou sua percepção sobre seu passado/presente.

  • Thriller Romântico

Nesse subgênero há a existência de um mistério que está sendo investigado. No desenrolar da trama há um caso amoroso, que, geralmente está ligado ao mistério em questão.

  • Thriller Tecnológico

“O thriller tecnológico é um gênero que aborda geralmente assuntos ligados a ficção científica, suspense, espionagem, ação e guerra. Eles incluem uma quantidade desproporcional (em relação a outros gêneros) de detalhes técnicos sobre seu assunto (normalmente tecnologia militar); apenas a ficção científica tende a ter um nível comparável de detalhes no lado técnico. O funcionamento interno de tecnologias e os mecanismos de áreas distintas (espionagem, artes marciais, política) são exaustivamente explorados, e muitas vezes o enredo gira em torno das particularidades tecnológicas. A categoria de thriller tecnológico se confunde com o gênero de ficção científica em alguns pontos. As características que definem um thriller tecnológico são a ênfase no mundo real ou em tecnologias plausíveis em um futuro próximo, muitas vezes com um foco na ação militar ou político-militar”.

 

Young Adult

Gênero que conta a história de jovens que tem entre 13 e 18 anos. Algumas características sobre o conteúdo desses livros é: “conflitos com a família, traição entre amigos, dúvidas com relação ao futuro profissional, busca pelo primeiro amor, personagens com autoestima baixa e complexo de inferioridade, personalidade influenciável, excesso de dramatização dos acontecimentos, descoberta da sexualidade, ambiente escolar (geralmente com rixas entre populares e nerds, e prática de bullying)”.