Tag

Slider

Browsing

Dicionário Literário: 40 termos que todo leitor deve saber

Quem entra no mundo literário geralmente tem algumas dificuldades com as gírias, por isso trouxe para você leitor um Dicionário Literário. Nele você poderá consultar os principais termos usados por leitores e bookstragrams e acabar de vez com as suas dúvidas. Preparado?

  1. Alta literatura: literatura considerada melhor que as outras, segundo críticos literários.
  2. Autoficção: literatura cujo conteúdo é a junção de autobiografia e ficção. Ou seja, o autor mistura sua própria história com situações fictícias.
  3. Bookaholic: pessoa viciada em livros.
  4. Book Birthday: data de lançamento de um livro.
  5. Bookban: quando um leitor se proíbe de comprar livros novos.
  6. Booktour: funciona como um rodízio de livros. Utilizados por muitos blogs, o esquema é o seguinte: uma pessoa lê o livro, faz a resenha em seu blog e passa para outra pessoa ler e fazer o mesmo procedimento.
  7. Booktrailer: trailer criado para livro.
  8. Bookquiz: são jogos e questionários que buscam aprofundar o conhecimento acerca de certas obras literárias.
  9. Bookstragram: Instagram criado para compartilhar leituras e dicas literárias.
  10. Calhamaço: livro grande, com alto volume de páginas.
  11. Chick-lit: romances leves, que tratam de questões femininas. Geralmente tem como protagonistas mulheres modernas, cultas e independentes.
  12. Cliffhanger: recurso utilizado no final dos capítulos para instigar o leitor a ler o próximo.
  13. Crush literário: paixonite por um personagem.
  14. Currently Reading (CR): termo em inglês que significa “lendo atualmente”.
  15. Distopias: ficção que tem como pano de fundo um mundo imaginário, desigual e com sistema político injusto.
  16. E-book: livros digitais, que podem ser lidos em dispositivos móveis. Geralmente são mais baratos que os físicos.
  17. Estória: trata de fatos não reais, ficção, contos, fábulas.
  18. Fandom: grupo de pessoas reunidas, fãs de um livro, saga ou personagem.
  19. Fanfics: ficção escrita por fãs. Ou seja fãs escrevem estórias como: continuações de seus livros; utilizando elementos/personagens dos livros preferidos e fazendo uma nova estória etc. Já escrevi muito! Hehe
  20. Hardcover: versão do livro em capa dura, geralmente revestido por um sobrecapa de papel, couro ou tecido.
  21. Hots: romances de cunho sexual.
  22. Literatura suja: livro menosprezado pelos críticos literários.
  23. Long Sellers: Best-Sellers que continuam no topo das vendas por longos períodos de tempo. Exemplo disso são clássicos.
  24. One-shot: livro único, sem continuação.
  25. Paperback: livro comum, sem orelha.
  26. Plot: é a história/estória em si e todos os eventos dela.
  27. Plot twist: é a reviravolta da história/estória, considerado um dos ápices dela.
  28. Pocket: edição de bolso do livro.
  29. Poser: pessoa que se diz fã de um determinado livro só porque está na moda.
  30. Quotes: são citações do livro.
  31. Resenha: resumo descritivo e crítico de determinada obra. Para saber como se faz uma boa resenha, clique aqui.
  32. Ressaca literária: existem dois tipos de ressaca. Uma quando o último livro lido foi tão bom que você não consegue começar uma nova história e outra quando você simplesmente empaca e não consegue ler.
  33. Sentada: ato de sentar para ler. Pode durar uma hora ou várias, dependendo de como a leitura flui.
  34. Shippar: torcer por um casal.
  35. Sick-lit: literatura que trata de temas os quais o personagem de alguma doença.
  36. Skoob: plataforma social dedicada a leitores. Nela você pode organizar seus livros e categorizá-los de diversas formas, além de interagir com outros leitores e autores. O meu inclusive é este aqui
  37. Spin Off: ficção criada com personagens já conhecidos de outra estória.
  38. Spoiler: informações que revelam pontos extremamente importantes de um enredo e acabam com a surpresa.
  39. Tag literária (booktag): uma série de perguntas que são respondidas por blogueiros sobre determinado tema literário.
  40. Unboxing: abrir/desempacotar presentes, cartas ou livros que chegaram pelo correio ou a pessoa comprou.

Bom, acredito que seja isso, pessoal! Qual outra gíria você sabe que poderia acrescentar a este post? Ficou com alguma dúvida? Chama aê!

Como fazer uma ótima resenha literária

Antes de tudo você precisa saber que para fazer uma ótima resenha literária é necessário que não apenas apresente ao seu leitor um resumo do livro, mas proponha uma discussão aprofundada sobre ele. Portanto, neste artigo irei dar dicas de como fazer uma resenha literária de arrasar! Quer saber mais? Vem comigo!

  1. Faça anotações do livro: enquanto estiver lendo o livro é fundamental que se faça anotações, um fichamento é sempre muito bem-vindo. Para ver como fazer um fichamento bacana tem esse vídeo aqui no youtube. Há claro outras formas de documentar a obra, pode ser através de post-its, gravações de voz etc. Encontre o que funciona melhor para você. Reler o livro também é uma ótima ideia, isso porque a cada vez que você ler o livro novamente poderá ter a oportunidade de revisitar ambientes, elementos e personagens de uma forma singular. Logo, isso aguçará a sua percepção sobre aquela obra.
  2. Leve em consideração o gênero do livro: ou seja, no momento de fazer a resenha literária é importante que se analise outras obras da área. Por exemplo, se você está lendo uma fantasia, pense em aspectos comuns a todas as fantasias, e compare-a a outros livros do gênero. Isso ajudará a fazer uma resenha mais completa e embasada.
  3. Identifique os aprendizados trazidos pelo livro: é importante que durante a leitura você documente o que está aprendendo com a mesma. Ou seja, qual mensagem ou mensagens ela passa para o leitor. Isso é fundamental para saber do que se trata o livro em sua essência. Uma dica bacana é tentar resumir o livro em uma só palavra. Ex.:  felicidade, força, autoestima, bullying etc. Outra dica, é sempre estar atento ao prefácio e citações, eles sempre ajudam a definir a palavra do livro.
  4. Se atente ao estilo do autor: lembrando sempre que gênero e estilo são coisas diferentes. Gênero literário é como a obra é classificada e estilo é a forma com que o autor aborda determinada temática. Portanto, quando for escrever uma resenha literária tente levar em consideração o estilo do autor, seu ponto de vista sobre o objeto, se ele inova em algum aspecto e se essa inovação é bem sucedida. Isso ajudará a criticar melhor a obra.
  5. Reflita sobre a forma do autor se expressar sobre determinados aspectos do livro: isso não só ajuda a embasar melhor sua resenha, como aumenta sua percepção sobre os aprendizados do livro. Tenha sempre em mente uma pergunta “por que?”. Por que o autor resolveu elaborar mais esse aspecto do livro? Por que ele deixou este outro de lado? Essa decisão foi bem escolhida?
  6. Avalie em alguma escala o livro: nessa avaliação é bacana colocar se o desfecho foi satisfatório, se conseguiu passar a mensagem a que se propôs e se o recomendaria a outras pessoas. Muitos bookstagrams utilizam a escala de estrelas. Sendo 1 o mínimo e 5 o máximo – se acrescentar um coração ao 5 significa que favoritou.

 

Passo a passo para construir sua resenha literária

 

  1. Organize um cabeçalho: isso vale tanto para blogs como Instagrams. Nele é necessário que se coloque: autor, título, edição, local de publicação, editora, data de publicação, número de páginas e claro, a sinopse.
  2. Faça uma boa introdução: uma introdução de sucesso deve passar as informações gerais do livro, ser clara e cativar o leitor. Fale sobre o autor e suas obras anteriores do mesmo gênero literário e a seguir disserte vagamente sobre sua opinião geral sobre o livro e o que vai abordar na resenha. Lembre-se, a abertura da sua crítica é o que vai prender ou não o leitor, portanto, faça uso de diversos recursos de acordo com seu estilo de escrita. Você pode introduzir com uma frase do livro, o contexto, ou simplesmente como uma conversa com uma amiga, como se estivesse contando uma história a alguém.
  3. Resuma a obra: hora de falar sobre a história, do que ela se trata e qual seu enredo. Mas lembre-se, nada de dar spoiler, viu? É bacana que se embase esse resumo com citações da obra. Mas não se estenda muito, seja conciso e informativo.
  4. Critique e avalie o livro: bem, feita a preparação anterior da resenha. Utilize as informações colhidas e escreva sobre o que achou da obra, se ela cumpriu seu propósito, disserte sobre o estilo do autor e suas inovações. Fale também sobre sua experiência pessoal, como aquela obra te tocou, isso dá a resenha um toque “humano”. De novo, você pode usar citações, sempre identificadas. Uma dica bacana é utilizar a regra 2:1. 2 partes da resenha devem conter as ideias centrais do autor e 1 parte destina-se a avaliar o livro.
  5. Faça uma conclusão de arrasar: faça um desfecho de 1 a 3 parágrafos que resuma suas ideias sobre o livro. Fale de forma concisa sobre os prós e contras e se você recomendaria ele para alguém.
  6. Revise sua escrita: procure por erros ortográficos e por partes que poderiam gerar confusão ao leitor.
  7. Peça feedback de alguém: se você tem um amigo próximo ou familiar que possa ler sua resenha, peça. Isso ajuda a ver pontos negativos que você sozinho não conseguiu ver.

 

Dicas adicionais

 

  • Utilize a técnica do Storytelling, ou seja, conte uma história para o seu leitor. Faça da sua resenha literária uma história em si. Isso ajuda na hora de ler e cativa ainda mais quem te acompanha.
  • No Instagram, lembre-se de fazer parágrafos espaçados e resumir ao máximo sua resenha, até porque não cabe muita coisa, né?
  • Faça fotos cativantes. A primeira impressão é a que conta, pesquise referências e defina seu próprio estilo de fotografia. Isso definirá seu diferencial no meio literário.

Resenha do Livro: Outros Jeitos de Usar a Boca

Outros jeitos de usar a boca é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia e que também assina as ilustrações presentes neste volume , o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.

Compre : Amazon | Saraiva 


Começar uma resenha sobre esse livro é realmente muito difícil. Falar sobre algo que você ama é muito mais difícil do que fala sobre algo que você não gosta. Mas vamos lá, desafio aceito.

Comecei a ler este livro sem muitas expectativas, isso porque não sou uma pessoa de poesias/poemas/leituras profundas. Na resenha anterior até falei um pouco da minha questão com futilidades, veja aqui. A questão é, esse livro veio no momento certo. Depois de passar por situações realmente difíceis na minha vida ele veio como um conforto, um ombro amigo que dividisse o peso de um fardo – vários fardos.

Rupi Kaur escreve sobre sobrevivência de um jeito que nunca li antes. O livro é dividido em 4 partes, cada um fala sobre um aspecto das vivências de Rupi. São elas: a dor, o amor, a ruptura e a cura. Cada qual possui poemas que tocam em temas tabus do universo feminino, desde assuntos mais pesados como abusos sexuais, até mesmo assuntos como menstruação. É fácil se identificar quando vivemos numa sociedade na qual estas temáticas ainda são motivo de preconceito.

Interessado por Rupi? Ela ficou conhecida através de seus poemas, que eram publicados inicialmente em redes sociais. Vendo que muitas pessoas se interessavam pelo seu trabalho ela decidiu publicar em 2014, de forma independente, seu primeiro livro, tema desta resenha maravilhosa. Outros Jeitos de Usar a Boca foi sucesso vendendo mais de 1 milhão de cópias e ficando no topo da lista de mais vendidos do New York Times por 40 semanas. E em fevereiro de 2017 a editora Planeta trouxe o livro para o Brasil.  

Um dos diferenciais do livro é reunir ilustrações feitas pela própria Rupi que acompanham seus poemas. Outros são mostrar a vida como ela é, feia muitas vezes, mas com toques de beleza até em suas partes mais obscuras. Isso é arte para mim, mostrar o lado ruim de uma forma bonita. Porque muitas vezes é só amassando uma flor que extraímos seu melhor odor.

Todas as 4 parte mexeram comigo, mas confesso que a primeira “tocou na ferida”. A dificuldade de relacionamento com a figura paterna sempre foi uma questão pra mim, e falar sobre isso me dói, não precisei falar abertamente com ninguém, Rupi falou comigo, e isso foi bom. Afinal, mesmo sem conhecê-la fiz uma nova amizade.

A segunda parte fala sobre amor em suas diversas formas e sentidos, ela, contudo, não se deixa ser obscena. Fala de tudo com palavras certas – se é que existem palavras certas para o amor.

A terceira me fez pensar sobre o término do meu último relacionamento, afinal, ela fala exatamente sobre isso, sobre ruptura. Mexeu comigo? Claro, mas foi necessário para enxergar alguma coisas que há muito tempo venho escondendo de mim mesma.

E por último: a cura. Algo que está em todos os pequenos/médios e grandes machucados. A cicatriz fica ali para lembrarmos do que houve e do que aprendemos, mas depois de um tempo para de doer e vida que segue.

Devorei o livro em uma sentada e cheguei a uma conclusão: tenho que relê-lo o quanto antes. Isso porque sinto que não consegui absorver toda a essência, todo o seu significado, dada sua profundidade e complexidade.

Outros Jeitos de Usar a Boca é um livro que toda mulher E homem deveriam ler. Ele, por abordar questões do universo feminino de forma a “destabulizar” as coisas – já dizia a deusa Jout Jout -, é dado como feminista. E nada mais certo. Vemos muitos livros de autoajuda dizendo como devemos ser felizes e focar nas coisas positivas. Mas as experiências negativas são as que nos dão mais sabedoria. Quer coisa melhor do que ser sábio?


Abaixo algumas citações desse livro que me conquistou. Mais que tudo, abriu meus olhos.

pai. você sempre liga sem ter nada especial a dizer. você / pergunta o que estou fazendo ou onde estou e se o silêncio / entre nós se estende por uma vida dou / um jeito de encontrar / perguntas que façam a conversa continuar. / o que eu queria / mesmo dizer é. / eu sei que o mundo te / despedaçou. foi com / tudo pra cima de vocês. não te culpo por / não saber / ser delicado comigo. às vezes fico acordada / pensando / em todos os machucado que você tem e / nunca vai / dizer. eu venho do mesmo sangue dolorido / do mesmo / osso tão sedento por atenção que desabo / em mim / mesma / eu sou sua filha. eu sei que a / conversa-fiada é o / único jeito que você conhece de dizer / que me ama. porque / é o único  jeito que eu conheço.

 

ele diz / desculpe por eu não ser uma pessoa fácil / eu olho pra ele surpresa / quem disse que eu queria fácil / gosto de difícil pra caralho

 

não quero ter você / para preencher minhas partes vazias / quero ser plena sozinha / quero ser tão completa / que poderia iluminar a cidade / e só aí / quero ter você / porque nós dois juntos / botamos fogo em tudo

 

o amor vai chegar / e quando o amor chegar / o amor vai te abraçar / o amor vai dizer o seu nome / e você vai derreter / só que às vezes / o amor vai te machucar mas / o amor nunca faz por mal / o amor não faz jogo / porque o amor sabe que a vida / já é difícil o bastante

 

eu não fui embora porque / eu deixei de te amar / eu fui embora porque quanto mais / eu ficava menos / eu me amava

 

eu sou um museu cheio de quadros / mas você estava de olhos fechados

 

você precisa começar um relacionamento / consigo mesma / antes de mais ninguém

 

a solidão é um sinal de que você está precisando desesperadamente de si mesma

 

você tem o hábito / de depender / dos outros para / compensar aquilo que / você acha que não tem / quem te fez / cair na história / de que outra pessoa / deveria te completar / se o máximo que alguém pode fazer é / complementar

 

perder você / foi o que levou / a mim mesma

 

como você ama a si mesma é / como você ensina a todo mundo a te amar

Resenha do Livro: Esposa até Segunda

Sinopse:

O segundo livro da série Noivas da Semana. Carter Billings: com seus cabelos loiros, olhos azuis e beleza hollywoodiana, ele pode ter a mulher que quiser. Mas, quando decide concorrer à vaga de governador do estado da Califórnia, Carter sabe que vai precisar abandonar a vida de solteiro e se tornar um homem de família. E para isso ele precisa de uma esposa. Entra Eliza Havens, que gerencia a agência de casamentos Alliance. Eliza Havens: ela está feliz por sua amiga Sam ter arrumado um marido rico e atraente. Só tem um detalhe que a deixa louca da vida: o melhor amigo dele, o sexy e ousado Carter Billings. Eliza nunca brigou tanto com um homem — e nunca conheceu alguém que mexesse tanto com ela. Juntar pessoas solitárias é a maneira como Eliza ganha a vida, porém um obscuro segredo do passado a faz descartar totalmente a possibilidade de se casar. Pelo menos foi assim até agora…

Link para compra: Amazon  |   Saraiva


Sabe quando a leitura se torna uma obrigação? Pois é, infelizmente foi o que houve com esse livro.

Começar a resenha assim já dá até um desânimo. O livro é ruim? De um todo não, mas também não é bom. Tem como me entender? Sei lá.

Comecei o livro empolgada, sabendo que ele talvez tivesse a pegada que eu gosto para me fazer voltar de vez para as leituras. E aí você me pergunta, qual seria a pegada, Júlia? Bem, eu brinco muito com minhas amigas e amigos que sou muito fútil, gosto de coisas bobas, entretenimento barato do tipo “de férias com o ex” e estou sempre disposta a assistir filmes e doramas clichês. Se eu me envergonho disso? Claramente não. MEU conceito de entretenimento é não pensar enquanto lê, assiste, faz algo. Gosto do entretenimento pelo entretenimento. House of Cards? Nã-não. Black Mirror? Muito menos. Vamos assistir aqui uma Barraca do Beijo três vezes na semana? Me chama que eu vou! Enfim, vamos falar do próprio livro em si, porque minha futilidade rende um outro post inteirinho.

A história tem como protagonistas Carter Billings e Eliza Havens. Carter é um ex-advogado, ex-juiz e atual concorrente a governador do Estado, já Eliza gerencia a agência de casamento Alliance. Eles se conheceram através de seus melhores amigos, Blake e Samantha, há cerca de dois anos de quando o livro é narrado. A atração foi instantânea, assim como as brigas entre eles (clichêzão que amamos).

Os encontros entre os dois se davam ocasionalmente na presença dos melhores amigos Sam e Blake, que eram casados e já tinham o pequeno Eddie. Todo ano, Sam e Blake renovavam os votos de casamento, e lá estavam Carter e Eliza como padrinhos. Este ano não fora diferente. Contudo, antes do casamento, Eliza e Gwen (irmã de Blake) resolveram dar uma saidinha e acabaram se metendo em confusão. O que fez com que Carter se metesse em uma briga e saísse nos noticiários. A eleição, que já estava difícil para ele que era um solteirão de trinta e poucos anos, se tornara impossível de ganhar. Só um casamento o salvaria. E Eliza era a esposa perfeita!

No começo da trama Eliza relutou bastante quanto a ideia de se casar com Carter, mas quando algo do passado ameaça sua segurança ela vê o casamento como a última saída. Ambos então concordam com o casamento por conveniência – mesmo com os riscos.


Crítica

Vejam bem, é apenas a opinião de uma leiga que lê livros por prazer. Mas não achei Carter aquele protagonista apaixonante, que pega a gente pelo coração e deixa um gostinho de quero mais no final do livro. Se eu descartaria um Carter que aparecesse na minha frente? Deus sabe que não. Mas talvez isso se devesse ao fato de que ele é um baita de um gato, loiro dos olhos azuis.

Já Eliza é uma personagem forte que mostra a que veio, mas ao mesmo tempo tem suas fragilidades, assim como qualquer ser humano de carne e osso, né non, minha gente? Mas mesmo ela, que é uma mulher determinada e independente, não conseguiu me capturar, me trazer para a trama.

Em momento algum os protagonistas trabalham algumas diferenças entre eles, que ao que parecia no começo, eram muitas. Isso me incomodou bastante também.

A verdade é que acho que a história foi pouco crível, com pontos muito soltos, principalmente no final do livro. À partir de seus 80% a autora parecia que queria terminar logo, ou que não tinha mais espaço para escrever. Muitas partes poderiam ter sido melhor desenvolvidas para que a leitura fosse mais fluida e os personagens encontrassem um desfecho e uma “moral da história” mais “real”.

Apesar de amar esse gênero de livro, acho que Esposa até Segunda deixou a desejar. Infelizmente, desde a construção dos personagens e das situações, até mesmo a escrita da autora não conseguiram me fisgar. Mas continua sendo uma leitura leve, rápida e romântica, viu? Não descarte ele por conta da minha opinião. Porque essa é apenas a MINHA opinião.

Grande beijo, e até a próxima!

Entrevista com a cosplayer Fernanda Andrade

Oi, gente! Tudo bem? Espero que sim. Hoje eu trouxe para vocês uma entrevista com a cosplayer Fernanda Andrade que interpreta personagens icônicas, como a temida (e amada) Bellatrix Lestrange, entre outras.

Fiquei extremamente animada quando a Fernanda respondeu minha humilde mensagem no imbox do Instagram! Já acompanhava o trabalho de cosplay dela há um bom tempo, então depois de uma postagem do Potterish acabei encontrando o IG dela.

Ela é incrível e seus cosplays ficam divinos, principalmente o que já citei, a personagem vivida pela Helena Bonham Carter nas telonas, Bella Lestrange do universo Harry Potter.

Fernanda é extremamente parecida com a atriz e deu vida a um dos cosplays mais reais que já vi da bruxa. Enfim, está demais.

Essa é minha primeira entrevista, então espero que curtam e tenham paciência comigo, estou aberta a críticas construtivas.

Tentei fazer as perguntas numa sequência lógica da minha curiosidade e as respostas claras da Fernanda tornaram tudo muito melhor. Espero que gostem! Prontos?

4 blogs literários para você conhecer

 

Oi gente, tudo bem? Espero que sim! Bom, adivinha quem voltamos com os trabalhos por aqui? Isso mesmo, nós. Com um texto quentinho com os 4 blogs literários para você conhecer que fazem parte da minha aba de preferidos.

Ah, mas acho que vocês merecem uma explicação sobre nosso sumiço, certo? Seguinte, eu e a Julia (a Abacaxi mestre) estamos bem ocupadas e aconteceu muita coisa nesse meio tempo, então acabou que nenhuma de nós pôde prosseguir com as coisas no blog. Contudo, a saudade de tudo foi bem maior e cá estamos voltando devagarinho e do jeito que conseguimos. Assim sendo, tenham paciência com a gente, ok?

Mas, chega de lero lero e vamos ao que interessa: o post-de-volta-depois-de-muito-tempo! Haha Hoje eu trouxe 4 blogs literários que eu adoro e vivo me atualizando neles. Prontos? Vamos lá.

 

Pronome Interrogativo, por Thais Cavalcante

Esse é o blog da Thais Cavalcante, 24 anos, graduada em Letras (Português/Literatura) e está fazendo pós-graduação em Tradução. Eu o conheço há 3 anos e foi pelo Youtube, pois a Thais também tem um canal com o mesmo nome do blog. Geralmente, se conhece o blog e depois o canal, mas minha história com o Pronome Interrogativo foi ao contrário.

O blog dela agora abordar de tudo um pouco do universo geek, porém, tem um conteúdo gigantesco literário, com críticas, indicações, resenhas e novidades. Sou apaixonada pelo blog e pela Thais, então não deixem de conhecer.

Pronome Interrogativo

 

Nuvem Literária, por Juliana Cirqueira

O Nuvem Literária é da Ju Cirqueira, uma carioca e cabixaba arretada de 28 anos que é uma fofura só. Ela é formada em Letras (Inglês) e faz pós-graduação em tradução, é apaixonada por línguas (inglês e francês) e tem um gosto incrível para livros. Conheci a Ju no mesmo período que a Thais e também foi pelo youtube, posteriormente conhecendo o blog Nuvem Literária.

A escrita da Ju é leve e dinâmica, então, sou apaixonada por suas resenhas e indicações, além de ser minha booktuber preferida. O blog é uma delicadeza só e tão organizadinho, amo com força!

Nuvem literária

 

Dicas do Jess, por Jessé Diniz

Jessé é o dono do blog Dicas do Jess, ele tem 23 anos e é escritor. Conheci o ele e seu blog através de grupos no facebook, pois além do blogger, ele é escritor e já tem um livro publicado, chamado “Sozinhos no Escuro” pelo Editora Selo Jovem e vem muito mais por aí.

As resenhas no Dica do Jess são claras e objetivas, chamando minha atenção, pois fica muito simples de entender a opinião de quem escreveu sem ser apelativo, o que é um ponto muito positivo.

Dicas do Jess

 

Mundinho da Hanna, por Hanna Carolina

O Mundinho da Hanna é da fofa Hanna Carolina, carioca, 29 anos, bióloga e mais diversas outras coisas legais, pois quem disse que somos uma coisa só, certo?!

Conheci a Hanna em um grupo do facebook também, conhecendo seu mundinho e me apaixonando pela escrita leve e cheia de personalidade dela. Quando lemos um texto parece que estamos conversando com ela mesmo, sabe? Suas resenhas são delicadas e objetivas, sendo uma leitura suave. Além disso, ela posta tags, desafios fotográficos e inspirações.

Mundinho da Hanna

 

 

E aí, gostaram das indicações? Pretendo me esforçar e conseguir colocar o Blog do Abaca logo logo nessa lista, também! Há muito o que ser feito, mas vou deixar abaixo alguns links de resenhas lindas aqui do blog.

Resenha: A Proposta

Resenha: Quando você voltar

Resenha: Sonata em Punk Rock

Enfim, espero que tenham gostado e diz aí nos comentários quais outros blogs literários vocês gostam de acompanhar. Super beijo e até a próxima!

Planner 2018

Oioi, galera! Tudo joia com vocês? Espero que sim! O post de hoje é aquele aguardado pela galera da organização: o Planner 2018. Se você é uma daquelas pessoas que ama planners e métodos de organização, então está no lugar certo.

Ju, e a lojinha do abaca?

Pois é, pessoal! Com meus 1001 empreendimentos não puder dar sequência à lojinha. Ela dependia de muita dedicação (como qualquer outra coisa) e, como não gosto de fazer nada mal feito, resolvi fechar a lojinha.

Mas tudo tem seu lado ruim e seu lado bom, né? O bom é que vou disponibilizar os materiais da lojinha DE GRAÇA. É pouco ou quer mais?

o que está incluso no planner 2018?

Bem, o Planner 2018 é bem completo. Fiz um apanhado de inspirações que via nos outros planners para que esse ficasse o mais funcional possível! O Planner 2018 contém:

  • Capa com espaço para colocar seu nome.
  • Calendário 2018.
  • Datas para lembrar.
  • Contatos emergenciais.
  • Contatos de amigos.
  • Contatos comerciais.
  • Qual a minha senha.
  • Metas 2018
  • Coisas para fazer durante o ano.
  • Wishlist.
  • Meus livros.
  • Meus seriados.
  • Meus filmes.
  • Capa de todos os meses do ano.
  • Despesas mensais.
  • Compra mensal.
  • Planejamento semanal.

Bastante coisa, né? Eu particularmente estou apaixonada!

Dicas de impressão

  • Utilize papel A5 com gramatura a partir de 90g.
  • Configure a impressora para imprimir o miolo frente e verso, menos a capa que deve ser impressa separadamente e numa gramatura acima de 200g.
  • A capa pode ser feita com plastificação ou encadernada.

baixe seu planner 2018

Para baixar o seu Planner 2018 você deve solicitá-lo através do formulário de contato abaixo:

As melhores dicas de como aumentar seguidores no Instagram: Parte 1

Oioi galera! Tudo joia com vocês? Por aqui tudo ótimo! O post de hoje vem para trazer um conteúdo relevante para as blogueiras  de plantão: como aumentar seguidores no Instagram. A rede social que hoje conta com mais de 600 milhões de usuários e com cerca de 95 milhões de fotos postadas por dia é o meio ideal para as blogueiras.

Isso porque, está é uma das redes sociais mais “sociais” possíveis. As funcionalidades do Instagram abrem possibilidade para um grande engajamento. Seja na área de stories, ou mesmo no próprio feed. Mas, mesmo com esse potencial todo você ainda não consegue engajamento satisfatório nas suas fotos? Então vamos às dicas!

Como aumentar seguidores no Instagram

Crie uma bio interessante

Como boa profissional da comunicação, sei que a propaganda é tudo. E é a primeira impressão a que conta. Portanto, não adianta você ter um perfil lindo se sua bio não é atraente. Você já parou para pesquisar as bios dos seus concorrentes? Essa é uma boa estratégia para começar a criar um bio interessante. Pense no que você gostaria de saber se fosse seu seguidor, tudo isso cabendo em 150 caracteres. Se você tem um blog coloque o:  nome do blog, assunto, página do facebook abreviada (fb.me/blogabacaxi), quem gerencia a conta, na parte do link o link do seu blog, seu e-mail para contato na parte de e-mail e o local na área de local. Caso caibam mais informações, sinta-se livre para criar. E lembre-se colocar emojis na bio é sempre um plus! 

Conecte seu instagram a outras redes sociais

Principalmente se você tem Facebook, é de extrema importância que crie uma página para o seu blog, se já não a tem, e conecte com seu Instagram. Isso fará com que sua conta do Instagram seja identificada como perfil comercial. Isso ajuda, e muito, na hora de mensurar resultados de suas publicações, uma vez que uma funcionalidade do perfil comercial são as estatísticas disponibilizadas para acesso do dono da conta.

Além disso, você pode compartilhar seus posts diretamente do Instagram para o Facebook. Isso é possibilitado também para as redes sociais Twitter e Tumblr, tudo de maneira fácil. Uma vez que usuário vê a publicação do Instagram replicada, ele pode te achar e seguir no Instagram através dessas outras redes. Esta é uma ótima estratégia para chamar seguidores de outras redes!

use hashtags e as monitore

Muitas blogueiras já usam hashtags no Instagram, mas existe toda uma estratégia por trás delas. Primeiro você tem que saber as hashtags mais relevantes para o seu nicho. Isso você pode fazer através no app Leetags, ele te dá as hashtags mais relevantes de acordo com a hashtag que você digita, inclusive apontando a porcentagem de relevância delas.

Agora que você já sabe quais hashtags usar é preciso saber também como usá-las. Dá uma olhada nessas dicas e fique por dentro de como usar as hashtags ao seu favor:

Quais hashtags colocar?

Existem 4 passos para você definir as suas hashtags principais, com o auxílio do Leetags. Vamos a eles:

  1. Defina as hashtags pelo nicho. Ex.: #nutrição #alimentação #saúde
  2. Confira quais hashtags são relevantes para o seu assunto. É aí que entra muita pesquisa, feeling e o Leetags. Ex.: semglúten
  3. Use hashtags próprias da marca/blog. Ex.: #clinicadajulia #clinicadajuliaindica
  4. Use hashtags que indiquem o local que você mora e que quer atingir. Ex.: #cidade #bairro #estado.
sE ATENTE AS HASHTAGS DA CONCORRência

Tem um blog no qual você se inspira? Aquele que tem vários seguidores? Pois bem, se atente as hashtags dele. Tente usar algumas e vá fazendo o teste das que mais funcionam. Isso ajuda a saber não só onde a concorrência aparece, mas como você também pode interagir e receber interação através dessas mesmas hashtags.

Mas lembre-se, usar hashtags genéricas e de alta repercussão como muitas blogueiras usam pode até garantir bastante curtidas, mas não gera grande engajamento ou seguidores fiéis. Então tente usar as hashtags mais específicas!

Interaja através das hashtags

A maior dica que vou dar nesse post: interaja! As hashtags são feitas para agregarem fotos de um mesmo conteúdo num só lugar. Então se você comenta e interage nas fotos dos coleguinhas, você será visto. E é muito provável que essa pessoa que recebeu seu comentário interaja de volta com você e acabe te seguindo, se seu conteúdo for bacana.


Bom, pessoal, por hoje é só! O post de continuação vem na semana que vem para ajudar na empreitada de como aumentar seguidores no Instagram. Gostou do conteúdo? Quer ver a continuação? Comente aí embaixo para dar aquela incentivada!

 

Um texto sobre clichês e saúde mental

Para aquecer o coração.

Ei, respira! Eu sei que está difícil. Verdade! E não estou aqui para te encher daqueles clichês de “vai-dar-tudo-certo-magicamente”. Não acredita em mim? Deixa eu te contar: sei que às vezes você tem vontade de simplesmente parar, sentar no chão e chorar até as lágrimas secarem no seu rosto, que às vezes tem que correr para o banheiro, sentar-se e ficar respirando profundamente até se acalmar o suficiente para voltar ao círculo de pessoas e também que quando está sozinha você pensa em um milhão de coisas ao mesmo tempo, é tanta confusão que você não consegue nem mesmo se ouvir. Sua saúde mental pede socorro, sabe?

E, agora acredita em mim?

É pressão demais, é coisa demais e tudo isso em tempo de menos. Parece que 24 horas por dia é pouco, né?! Aí você tem que ficar acordado até tarde pra resolver tudo, então, acorda cedo demais e fica tão cansado que seu dia por si só se arrasta.

Eu me sinto assim e mais vezes do que gostaria de admitir a mim mesma, porém, acredito que em partes a cura começa com isso: admitir.

Todas as vezes que banquei “a fortona” e escondi de mim mesma meus sentimentos, as crises eram horríveis. Minha cabeça e estomago doíam, eu vomitava, tinha insônia e tremia tanto que não conseguia segurar um copo. E não estou dizendo isso aqui para que sintam pena ou algo assim, só quero te mostrar que você não está sozinho. Não mesmo.

E quero te dizer que admitir a si mesma que você precisa de um pause, precisa de ajuda, precisa simplesmente parar, é extremamente necessário.

Você não será uma pessoa fraca por isso. Conheço muitos poetas e há um punhado de poemas que direta ou indiretamente dizem que corajosos são os que demonstram os seus sentimentos.

E é clichê, eu sei, eu sei. Mas, me dá um desconto vai. Hoje foi um daqueles dias difíceis, então posso usar vários desses que estão escondidos aqui na manga.

E estou aqui: de pijama, cabelo embaraçado, ouvindo minha banda preferida e escrevendo. Chorei um pouco, também. Mas, tudo bem e mais: tudo bem não estar bem (Jessie J realmente sabia o que estava falando).

Mas, agora eu estou bem. Consigo ouvir meus pensamentos, o choro só foi aquela escapatória do dia complicado, aquele nó na garganta, mas passou. Eu estou realmente bem. É fato de que não há maneiras de ser 100% feliz e radiante o dia todo, mas te garanto que pode chegar ao final dele bem, confortável, alegre.

E vai outro clichê aí: as coisas podem melhorar.

Poxa, e eu que disse que esse texto não seria sobre clichês… Ah, mas quando as coisas apertam é bom saber que há muitos clichês para que saibamos que se elas já deram em algum momento no universo, eles podem acontecer conosco.

E acontecem, viu?

As coisas podem melhorar é diferente de que vão, contudo. Pois, isso depende exclusivamente de você. E de ajuda. Não é errado pedir ajuda, não é errado precisar de apoio para sair de onde quer que esteja e que te machuque. Seja um trabalho que não goste, uma faculdade que não seja sua vocação, um núcleo social tóxico. Ou um sentimento, também, pois há vários que te aprisionam. Mas, você pode sair deles e as coisas podem melhorar muito.

E para terminar o meu dia meio ruim, quero agradecer por todas as coisas infinitamente boas que aconteceram hoje. Há tanto o que agradecer.

E, bom, acredito que aí na vida de vocês também, então, antes de tentarem colocar em prática tudo o que eu disse, tentem apenas agradecer por uma coisa boa de hoje.

Já é um ótimo começo e eu estou orgulhosa de você. Nos vemos por aí.